• Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • Branco Facebook Ícone
 

          Uma vida não é suficiente para aprender tudo sobre o chá.

       O  chá é  uma  espécie  de  planta  (da família Theaceae)  cujo   nome  científico é   Camellia Sinensis  e que possui variedades.  Os arbustos  (ou árvores)  dessa espécie podem variar de tamanhos.  Existem arbustos que medem  um  pouco  mais  de  um  metro  e  árvores  que  podem  medir  mais  de  dez  metros.  Essas  maiores geralmente se desenvolvem em florestas e não em cultivares.

          Tomar chá é uma experiência única!

        As folhas do chá possuem uma característica, entre muitas outras, bastante peculiar:  são muito sensíveis aos odores, que, por sua vez, influenciam muito o sabor do chá.

          Seis são as características gerais que determinam o sabor final do chá:  

 

               1.  Tipo - O tipo do chá;

            2. Cultivar  ou  cultivares  –  É  a espécie  da  planta  que  foi  melhorada  devido à alteração ou  introdução, pelo  homem,  de uma característica que  antes não possuíam.  Elas se  distinguem  das  outras  variedades  da mesma espécie de planta por sua homogeneidade, estabilidade e novidade.  Em outras palavras, “Cultivar” é o nome dado a uma nova variedade da planta, com características específicas resultantes de técnicas agrícolas e pesquisas em agronomia;

              3. Terroir  –  É a relação mais íntima entre o solo e o microclima  particular do local da  plantação,  que concebe  o  nascimento de  um tipo  de  planta, neste  caso  o  chá,  que  expressa sua  qualidade, tipicidade  e identidade;

           4. Mestre do chá – É aquele que processa o chá, escolhendo o tipo de colheita, de secagem, de oxidação e, em alguns tipos de chás, até a fermentação;

               5. Água – A água utilizada para fazer o chá;

               6. Preparo – O modo como o chá é preparado.

 

          Existem quinze principais províncias produtoras de chá na China continental. Taiwan também produz chá. Os tipos mais comuns são: chá branco, chá verde, chá amarelo, chá Oolong, chá preto e o chá “Pu-erh”.

              Há várias formas de classificar os tipos de chás chineses, alguns, inclusive, com nominações diferentes. Optarei pela forma a qual eu acredito ser a mais lógica e comum possível.

          Em geral, os chás chineses são divididos em seis grandes tipos, principalmente de acordo com o processamento. Desses principais tipos, cinco deles vão de uma oxidação mínima, levemente natural, até totalmente oxidado. As folhas da Camellia Sinensis, depois de apanhadas, rapidamente começam a oxidar e ficam progressivamente escuras, assim que a clorofila se quebra. A etapa seguinte é parar o processo de oxidação num estado predeterminado, removendo a água das folhas por  algum tipo de aquecimento. O termo fermentação é frequente e muito usado para descrever este processo (chamado oxidação), mesmo que, na verdade, nenhuma fermentação aconteça (ou seja, o processo não é digerido por micro-organismos). O último tipo, além de oxidado, também é fermentado. Neste caso, o termo “fermentado” é utilizado corretamente.

              O chá branco é de cor mais clara do que outros tipos de chá e tem um sabor sutil e delicado. As folhas  são colhidas quando ainda são jovens e imaturas. Por vezes, elas são protegidas da luz do Sol para prevenir a formação de clorofila. É por isso que o chá branco tem a aparência muito clara. Ele é processado em um curto tempo, o que mantém uma grande quantidade de antioxidantes que são benéficos para a saúde das pessoas. Sua oxidação é extremamente mínima ou natural.

                 O chá verde é o tipo  de chá  mais antigo  e popular da China. É feito de brotos jovens e folhas da planta de chá. Assim como o chá branco, o  verde também sofre uma oxidação mínima durante o processo, o que mantém mais propriedades antioxidantes. Portanto, o chá verde também ajuda a fortalecer sua saúde.

              O chá amarelo foi  usado  para ser  um  chá de  tributo imperial, o que  significa  que era reservado apenas para os imperadores. O processamento dele é similar ao do chá verde, entretanto, a fase de secagem é diferente. Atualmente, o chá amarelo é o mais raro de todos tipos de chás, representando, talvez, menos de meio por cento da produção total de chá na China.

                 O  chá  Oolong é  um chá  semioxidado, o que  significa  que  a folha  foi  oxidada  entre  30%  até  cerca  de  88% (tal oxidação está entre o chá verde e o chá preto). Devido a essa grande diferença, tem-se uma enorme variedade de sabores. Existem aproximadamente 28 tipos de chás Oolong de alta qualidade cultivados na China, cada um com suas próprias características. Com essa grande variedade de sabores e tipos, será uma experiência inesquecível procurar um favorito.

                   O chá  preto  sofre  oxidação completa, criando  sabores  únicos.  Os processos  deste chá  produzem  muitos compostos benéficos, como flavonoides, polifenóis, etc. Ele tem um sabor mais forte e, em geral, muitos benefícios. A tradução literal da palavra chinesa deste chá é “chá vermelho”, pois, depois de pronto, sua cor é avermelhada. Alguns fãs preferem chamá-lo simplesmente de chá vermelho.

                 O chá Pu-erh é  um chá fermentado  e envelhecido  (pode ter mais de 50 anos). O Pu-erh  tradicional é conservado em forma de "tijolo" ou outras formas (as folhas de chá, depois de tratadas, são prensadas em moldes). Este é o mais apreciado de todos os chás na China, sendo catalogado em função da qualidade das folhas e do ano de produção, tal como um bom vinho no ocidente. O chá Pu-erh e o chá Oolong são normalmente utilizados para a cerimônia de chá chinesa (Kung Fu Cha). O Pu-erh é considerado como um chá medicinal na China.

 

Chá de Jasmim

                   O chá de jasmim, em geral, tem como base o chá verde, mas o chá branco ou o chá preto também são usados. As flores de jasmim são utilizadas para fazer um chá (Camellia Sinensis) perfumado.

                As folhas de chá (Camellia Sinensis) são colhidas no início da primavera e armazenadas até o final do verão, quando as plantas de jasmim estão floridas.

                 As flores de jasmim são colhidas no início do dia, quando suas pequenas pétalas estão bem fechadas. Elas são mantidas frescas até o anoitecer. Durante a noite, as flores (tirei “de jasmim”) se abrem e liberam sua fragrância, e é aí que acontece a transferência do aroma para o chá.

                O sabor  resultante do chá de  jasmim é sutilmente  doce e altamente  perfumado. É o chá aromatizado mais famoso na China. No norte desse país, é costume servir o chá Jasmine como um gesto de boas-vindas aos hóspedes.

Esquema simplificado dos processos de produção dos diferentes tipos de chás chineses

Esquema geral de tempo e temperatura no preparo dos diferentes tipos de chás chineses

          Caso você queira uma infusão mais forte, é melhor colocar mais “chá” (planta) em vez de estender o tempo de infusão. Alongando o tempo de infusão, os taninos do chá são ativados, podendo deixar seu sabor amargo. Para um chá mais suave, é melhor reduzir o tempo de infusão.

 

Gaiwan

 

              A Gaiwan é composta por três peças; um pires que serve de suporte para uma tigela pequena (que tem a função de xícara ou copo) com a parte de cima (“boca”) mais alargada, e uma tampa. A tampa permite que o chá seja feito diretamente na tigela, retendo as folhas enquanto se bebe ou quando se verte o chá para um outro recipiente (xícara, copo ou jarra). O pires é usado para levar a taça aos lábios sem ter que lidar com temperatura quente.

            A Gaiwan  chinesa tem uma funcionalidade simples, eficaz e elegante. Foi criada durante a Dinastia Ming (1368-1644), no pico da fabricação de cerâmica, nos fornos de Jingdezhen, uma cidade da China, famosa pela criação de delicados e requintados utensílios de mesa e chá. Pode-se afirmar que o design da Gaiwan mudou muito pouco durante os séculos.

            Existem Gaiwans de diversos materiais, entretanto, porcelana, vidro, cerâmica e argila Yixing são os mais comuns. 

              Gaiwans são vendidas  praticamente em toda a China e seus preços variam de alguns poucos dólares até valores altos, sendo estes justiçados por serem muito antigas ou de uma qualidade excepcional do material e da execução.

Alguma destreza é necessária para beber chá de uma Gaiwan, porque deve-se lidar com as três partes ao mesmo tempo. O método recomendado é segurar o pires com a mão direita. Usando a mão esquerda, segura-se a tampa para remover qualquer folha de chá que possa sair pela borda. Depois, leva-se a taça para os lábios. Seria uma boa ideia praticar algumas vezes primeiro, com água ou talvez até chá gelado, antes de tentar a bebida quente.

A Gaiwan também é usada para preparar chá com múltiplas infusões como oolongs e pu-erh, entre outros. É frequentemente usada por provadores de chá, principalmente se for de vidro transparente, permitindo (tirei “assim”) que o chá seja visto durante o preparo.

Ainda hoje, a Gaiwan continua sendo muito popular na China. Ela é usada na maioria das casas de chá, bem como por especialistas nas fábricas e centros de pesquisa.